O que fazer quando o cachorro está gripado?

gripe canina

Nosso site não tem apoio financeiro e dependemos de você para poder continuar. Ajude compartilhando esse artigo em suas redes sociais.

Anúncios

Gripe canina, causas sintomas e tratamentos

Quando se trata da gripe canina, é importante estar sempre preparado. Embora a maioria dos casos não seja fatal, o vírus da influenza canina pode deixar seu animal desconfortável, causando não só a ele e mas também a você muito estresse e tempo e gastos no consultório do veterinário.

Se você é dono de um cão, não precisa entrar em pânico com a gripe canina . No entanto, você deve saber os sintomas para identificar um caso de um surto na sua região.

O que é a gripe canina?

A gripe canina, ou vírus da influenza canina, é uma doença respiratória infecciosa causada por um vírus influenza A, semelhante às cepas virais que causam influenza nas pessoas. Existem duas linhagens conhecidas de gripe canina:

H3N8
H3N2

A cepa H3N8 inicialmente se originou em cavalos. O vírus então passou dos cavalos para os cães, tornando-se o vírus da gripe canina por volta de 2004, quando os primeiros surtos afetaram os cães galgos na Flórida.

O H3N2, por outro lado, teve origem na Ásia, onde os cientistas acreditam que passou dos pássaros para os cães. O H3N2 é o vírus responsável pelos surtos de influenza canina em 2015 e 2016 .

Como a gripe canina se espalha?

Como as formas humanas de gripe, a gripe canina é transmitida pelo ar.

As secreções respiratórias dos cachorros passam para o meio ambiente na forma de tosse, latidos e espirros, onde são então inaladas por um novo hospedeiro canino.

A gripe canina também se espalha através de objetos e ambientes contaminados, como tigelas de água, coleiras e superfícies do canil, ou através do contato com pessoas que tiveram contato direto com um cão infectado.

Áreas lotadas, como canis, e parques para cães, são criadouros de doenças, principalmente da gripe canina. Um cachorro gripado pode transmitir a gripe para outros cães pela tosse, espirro, latidos, lambidas, isso pode infectar facilmente os cães ao seu redor. Alem disso e mais perigoso pelo fato de os cães serem mais contagiosos durante o período de incubação,  antes de começarem a apresentar sintomas.

Período de incubação 

O período de incubação da gripe canina é de aproximadamente 2 a 4 dias após a exposição inicial ao vírus da gripe canina.

O tempo de contagio começa a diminuir após o quarto dia, mas os cães com H3N8 permanecem contagiosos por até 10 dias após a exposição, e os cães com H3N2 permanecem contagiosos por até 26 dias.

A maioria dos veterinários recomenda isolar cães com H3N2 por pelo menos 21 dias para reduzir o risco de transmissão.

Quase todos os cães que entram em contato com a doença a contraem, mas nem todos os cães infectados apresentam os sintomas do vírus.

Cerca de 20 a 25% dos cães infectados são assintomáticos, ou seja, não tem sintomas, mas ainda podem disseminar a doença. Se um de seus companheiros caninos pegar a gripe, mas o outro parece que não foi afetado, lembre-se de que ele ainda pode estar com o vírus. Converse com seu veterinário sobre os procedimentos de quarentena para todos os cães da sua casa.

Quais os sintomas da gripe canina?

Então, como saber se seu cachorro está com gripe?

Existem vários sintomas que todos os proprietários devem estar cientes. Os casos de gripe canina variam de leve a grave e, diferentemente da gripe humana, não são sazonais. Fique de olho nos seguintes sintomas durante todo o ano:

  • Tosse (úmida e seca)
  • Espirros
  • Corrimento nasal
  • Corrimento nasal purulento
  • Olhos escorrendo
  • Febre
  • Letargia
  • Dificuldade para respirar
  • Falta de apetite

Os sintomas da gripe canina se assemelham aos sintomas da traqueobronquite infecciosa canina, que também é uma doença com a qual você deve conversar com seu veterinário assim que notar os sintomas.

Gripe canina pode matar?

A maioria dos casos de gripe canina é leve, mas ocorrem casos graves. Nesses casos, os cães desenvolvem pneumonia, dificuldade em respirar e febre alta. Felizmente, a taxa de mortalidade é relativamente baixa, com menos de 10% dos casos de gripe canina resultando em mortes.

Como tratar gripe canina?

O vírus da gripe canina requer a atenção de um veterinário. Os veterinários devem relatar casos de influenza canina as autoridades sanitárias para ajudar a monitorar a propagação da doença.

Não há cura para a gripe canina. O tratamento é simples, e seu veterinário pode indicar o melhor tratamento e recuperação.

Alguns cães podem precisar de cuidados especiais, como hidratação, para ajudar na recuperação, além de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides para reduzir a febre. Alem disso o veterinário pode indicar rações ou uma alimentação especial e poderá prescrever antibióticos para tratar infecções bacterianas secundárias.

Seu veterinário também o informará sobre os procedimentos adequados de quarentena para evitar a propagação da gripe canina, dependendo da tensão do vírus que o seu cão contrai, e poderá fornecer informações sobre soluções desinfetantes a serem usadas em sua casa para ajudar a matar o vírus.

Entre em contato com o veterinário com antecedência assim que perceber que seu cão está apresentando sintomas de gripe canina ou infecção respiratória. Pois a gripe canina é altamente contagiosa, e o veterinário pode pedir que você mantenha seu cão fique em quarentena.

Como prevenir a gripe canina?

A melhor maneira de prevenir a gripe é manter seu cachorro afastado de locais públicos com casos relatados recentemente. Se você entrar em contato com um cão que suspeite estar com gripe, ou tenha sido exposto a ele recentemente, lave as mãos, os braços e troque as roupas antes de tocar no seu próprio cão. Alem disso considere desinfetar as mãos com álcool gel. Isso reduzirá o risco de transmissão de você para o seu cão.

Existem vacinas disponíveis para as cepas H3N8 e H3N2 da influenza canina.

O veterinário pode recomendar a vacina baseado no seu ambiente, por exemplo, se você mora em uma área com alta incidência de gripe canina ou se o seu cão passa algum tempo regularmente em hotéis ou como hospede em outra residencia. Além disso, se seu cão frequenta regularmente locais de banho e tosa, pode então contrair influenza canina e seu veterinário pode recomendar a vacina como precaução.

Em caso de viagem prolongada, onde seu cão precise ficar alguns dias como hospede, verifique antes se o proprietário da casa tomou medidas preventivas contra qualquer tipo de contaminação. Pois além da gripe canina, o recinto pode estar contaminado com outras pestes e pragas. Hotéis e hospedagens particulares, normalmente aceitam mais de um animal, assim, em caso de surto em sua região, verifique se os animais que ficarão em contato com o seu, estão vacinados.

Gripe canina passa para humano?

Em geral, o vírus da gripe canina representem uma baixa ameaça para as pessoas. Até o momento, não há evidências de disseminação do vírus da gripe canina de cães para pessoas e não houve um único caso relatado de infecção no mundo. Em 2016, foi avaliado o risco da gripe canina causar uma pandemia de vírus H3N2 em humanos, e então se descobriu que era baixo.

No entanto, os vírus da gripe estão constantemente mudando e é possível que um vírus da gripe canina mude e possa infectar as pessoas e pode se espalhar facilmente entre os humanos.

Infecções humanas causados por novos vírus da gripe A contra os quais a população humana tem pouca imunidade são preocupantes quando ocorrem devido ao potencial que uma pandemia poderia resultar.

Por esse motivo, o sistema de vigilância global da Organização Mundial da Saúde levou à detecção de infecções humanas por novos vírus influenza A de origem animal (como os vírus influenza aviária ou suína), mas até o momento, nenhuma infecção humana por vírus influenza A canino tem sido identificado.

O seu cachorro está impossível e você não sabe mais o que fazer? Neste guia você irá aprender como adestrá-lo resolvendo os seus principais problemas de comportamento.

ASSINE NOSSO SITE E RECEBA EM SEU E-MAIL OS NOVOS ARTIGOS

Nosso site não tem apoio financeiro e dependemos de você para poder continuar. Ajude compartilhando esse artigo em suas redes sociais.

Marcações:Dicas de Saúde

Gostou desse artigo? Deixe um comentário